Blog para Investir

Investimentos

Conheça as 5 principais características do investidor arrojado

Conheça as 5 principais características do investidor arrojado

Atualizado em 20/05/2022 às 18:22

Banner da noticia Conheça as 5 principais características do investidor arrojado

Compartilhe


Para definir o perfil que cada pessoa tem ao investir, as instituições financeiras costumam aplicar questionários que incluem perguntas sobre a renda, o patrimônio, o conhecimento de mercado e os objetivos estratégicos de curto, médio e longo prazos. Em geral, o investidor arrojado é aquele que está disposto a correr mais riscos e, consequentemente, também ter chances de obter maiores retornos.
Ou seja, quanto maior a exposição ao risco que alguém está disposto a ter, mais arrojado é o seu perfil. Confira, a seguir, o perfil do investidor arrojado e quais são os investimentos ideais para ele!


O que caracteriza um investidor arrojado?


Normalmente, esse investidor é uma pessoa que já está com a vida financeira tranquila e, por isso, pode arriscar mais. No entanto, essa não é sua única condição. Conheça as 5 principais características!


1. Assume riscos em busca de altos rendimentos
Como mencionado, um dos atributos mais notados em investidores classificados como agressivos ou arrojados é o fato de assumir riscos maiores, já que esperam altos rendimentos. Ou seja, o foco dessas pessoas é obter o melhor retorno possível para fazer seu patrimônio crescer.


2. Tem um percentual maior da carteira em renda variável
Outra característica bastante comum é que ele tem um percentual considerável da sua carteira aplicado em renda variável — priorizando, assim, a rentabilidade do investimento.
No entanto, até mesmo os investidores arrojados devem ter uma parcela dos seus investimentos alocada em opções mais conservadoras. Elas servem para formar uma reserva de emergência de boa liquidez e atender aos seus objetivos de curto prazo.


3. Foca o longo prazo
Os objetivos do investidor com esse perfil são principalmente de longo prazo. Logo, sua carteira pode estar passível à volatilidade durante o período de aplicação.


4. Corre riscos calculados
Apesar de ter um apetite pelos investimentos arriscados, o investidor arrojado tem plena consciência das alternativas que escolhe e corre apenas riscos calculados, tendo a certeza de que elas estão de acordo com seu planejamento de longo prazo. Ou seja, não é porque pode arriscar um pouco mais que essa pessoa colocará seu dinheiro em aplicações de origem duvidosa.


5. Mantém a calma
Esse investidor tem sangue frio perante as oscilações do mercado, lidando de forma mais calma com os riscos de suas aplicações. Ele sabe que no curto e médio prazo o saldo da sua carteira vai oscilar, podendo chegar a patamares mais baixos.
Contudo, seu foco está no longo prazo. Por isso, esse investidor não se assusta com perdas temporárias e visa a consistência de longo prazo que trará maiores rentabilidades.


Quais os investimentos ideais para o investidor arrojado?


Como você já deve saber, os investimentos mais arrojados e agressivos são também os de maior risco. Ao mesmo tempo, eles tendem a ter um potencial maior de rentabilidade, podendo render consideravelmente acima da taxa básica de juros da economia.
Contudo, vale destacar que as perdas podem ser grandes — ou mesmo ilimitadas. Isso porque a volatilidade dessas opções costuma ser alta. Isto é, os retornos podem oscilar bastante tanto para cima quanto para baixo.
Enquadram-se nessa categoria os investimentos de renda variável, o que significa que o retorno está condicionado a elementos como o desempenho das organizações e da própria economia, por exemplo. Listamos abaixo alguns investimentos adequados para o investidor arrojado.


Fundos imobiliários


Os fundos imobiliários permitem que o investidor junte-se a grupos de pessoas que aplicam recursos em empreendimentos imobiliários — provando que não é preciso ser proprietário de um imóvel para receber valores de aluguéis.
O funcionamento do fundo é como uma espécie de condomínio, em que o investidor é dono de uma cota e recebe pagamentos de acordo com a sua participação.
Além da locação, ainda é possível ganhar retornos com vendas de imóveis, arrendamentos e outras atividades do ramo imobiliário. O patrimônio do fundo pode ser composto por um ou mais imóveis, parte de propriedades, direitos relativos a elas, entre outros.
É bastante comum que o fundo compre imóveis — podendo ser até mesmo um shopping center — e receba rendas do aluguel deles, além de aproveitar a valorização dos bens. A remuneração de cada fundo varia de acordo com a opção escolhida. No site da BM&FBovespa você pode verificar os fundos listados e conferir as características de cada um.
O risco mais comum atrelado a esses investimentos é o de os imóveis não serem alugados ou vendidos, resultando em uma remuneração menor durante determinados períodos. Além disso, também há o risco de o investidor vender uma cota por um valor abaixo daquele da compra.


Ações


Bastante conhecida pelo mercado, uma ação funciona como uma cota de uma companhia. Quando uma empresa é classificada como capital aberto, seu patrimônio é dividido em diversos “pedaços”, chamados de papéis ou ações.
As ações são vendidas a investidores, que tornam-se donos de uma parte daquela empresa. Como sua remuneração não é conhecida no momento da compra, as ações são consideradas investimentos de renda variável. Por esse motivo, o mercado de ações pode gerar pequenos lucros ou prejuízos ao mesmo tempo em que traz resultados expressivos (positivos ou negativos).
De modo geral, os fundos de ações procuram equilibrar papéis de diferentes companhias, justamente para reduzir os riscos e buscar uma rentabilidade mais previsível. Ainda assim, as aplicações de renda variável apresentam mais riscos, já que não é possível conhecer o rendimento exato no momento da contratação.


Fundos multimercado


Um fundo multimercado, como o próprio nome sugere, tem a liberdade para operar sob diferentes ativos, como ações de empresas, papéis de renda fixa, derivativos, moedas e investimentos no exterior. Essa flexibilidade possibilita que o gestor do fundo monte diferentes estratégias que se encaixam conforme as mudanças no mercado financeiro ou cenário econômico, por exemplo.
A versatilidade dos fundos multimercado permite que esses investimentos superem até mesmo momentos de forte volatilidade. Sendo assim, a liberdade da gestão do fundo pode conferir tanto um retorno mais atrativo como também um alto nível de risco.
Devido à grande flexibilidade, essas aplicações são as maiores coringas da indústria, podendo ser mais conservadores ou mais agressivos, a depender da estratégia adotada pela administração e investidores do fundo — uma vez que cada estratégia possui regras diferentes para realizar as operações. 


Como vimos, o investidor arrojado é alguém que está disposto a correr mais riscos para obter maior rentabilidade. Entretanto, ele também valoriza o planejamento, buscando sempre arriscar de maneira prudente e calculada. Seu foco está no longo prazo e, por isso, é importante que mantenha a calma durante as oscilações dos rendimentos.
Sabendo escolher adequadamente, o investidor arrojado tem a sua disposição uma série de ótimos ativos por meio dos quais pode realizar seus sonhos e alcançar seus objetivos financeiros mais ousados.

Se você tem interesse em saber como montar uma carteira equilibrada e de acordo com seus objetivos, entre em contato conosco. Temos um time de especialistas dedicados para trazer as melhores oportunidades de acordo com seu perfil de investidor.

Assine a newsletter Paraná Banco Investimentos e receba conteúdos exclusivos:

Veja também

WhatsApp icon